Estudo da UCP, em parceria com o NPISA Lisboa, releva que a “taxa de incidência à COVID-19 na população sem-abrigo é inferior à da população em geral”

Wednesday, May 4, 2022 - 12:35

O estudo “Vulneráveis mais vulneráveis? Diagnóstico e prevenção do risco da COVID 19 e do estado inflamatório das pessoas sem-abrigo em Lisboa”, desenvolvido pelas plataformas Nursing Research Platform – Lisboa e SalivaTec do Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde (CIIS) da Universidade Católica Portuguesa em parceria com o NPISA Lisboa (Núcleo de Planeamento e intervenção para a pessoa em situação Sem-abrigo), relevou que a população sem abrigo tem uma taxa de incidência de 2% enquanto a média nacional se encontra nos 18%.

Das 500 pessoas em condição de sem-abrigo que integraram o estudo, os casos positivos à COVID 19 que residiam temporariamente em Centros de acolhimentos de emergência, foram isolados nas próprias instituições, após notificadas as autoridades Regionais e Locais de Saúde. Outros casos positivos de pessoas em condição de sem-abrigo foram localizados na rua e encaminhadas para a Estrutura de Apoio de Retaguarda a fim de garantir o isolamento e convalescença.

Esta investigação pretendeu, numa primeira fase, diagnosticar a presença de SARS-CoV-2 da pessoa em condição de sem-abrigo utilizadora do Balneário Público de Alcântara e das estruturas do NPISA, utilizando os testes em saliva desenvolvidos pelo SalivaTec e promover o seguimento e encaminhamento clínico dos casos positivos detetados.

A Profª Doutora Amélia Simões Figueiredo, investigadora principal do estudo e Diretora da Escola de Enfermagem (Lisboa) do ICS-UCP, afirma que “iremos agora iniciar a 2ª fase do estudo que procurará relacionar o diagnóstico com o estado inflamatório dos indivíduos e outros fatores associados aos participantes do estudo no Centro de Acolhimento do Beato e no Centro de Alojamento de Emergência Municipal de Santa Bárbara” procurando responder a questões como:

 - Será que os contextos onde as pessoas em condição de sem-abrigo pernoitam interferem no valor da taxa de incidência à COVID 19?

 - Será que a medicação associada a comorbilidades dos sujeitos do estudo interfere na referida taxa?

Esta investigação tem financiamento Programático atribuído pela FCT ao Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde (CIIS) da UCP (Projeto UIDP/04279/2020).

O estudo tem parecer favorável da Comissão de Ética para a Saúde da ARSLVT é liderado por Amélia Simões Figueiredo da Escola de Enfermagem do Instituto de Ciências da Saúde e inclui também investigadores da Faculdade de Medicina e da Faculdade de Medicina Dentária.